Dores orofaciais

As dores mastigatórias são as principais causas de dor facial e de cefaleias de origem mandibular e, depois das odontalgias, são as principais causas de dores orofaciais. Seu tratamento depende do nível de complexidade, podendo ser usadas desde placas de mordida, medidas físicas, acupuntura, infiltrações ou fármacos. Alterações emocionais são frequentes nesses pacientes e eventualmente têm relação com outras patologias médicas que devem ser tratadas concomitantemente, como fibromialgia, depressão, e outros distúrbios comportamentais.


Dor persistente pós cirurgia oral

O esperado é uma dor discreta até 5 dias após o procedimento.

Frequentemente é de origem em incidente cirúrgico que tenha rompido algum nervo periférico, entretanto não é rapidamente reconhecida pelos cirurgiões. Muitas vezes é acompanhada de parestesia (tipo a sensação de anestesia) de lábios, embora possa ocorrer independente dessa condição.

Tratamento: em geral é o mesmo utilizado para o tratamento das dores neuropáticas, ou seja: antidepressivos tricíclicos, anticonvulsivantes e, eventualmente, opióides.


Dor na mucosa oral

Próteses dentárias podem causar traumatismo na mucosa oral; as lesões podem ser ulceradas e variam de tamanho, e quando infectadas, acentuam as queixas. A dor pode ser difusa, mas a lesão é facilmente identificável; pode ser súbita desencadeada durante a mastigação. Diversas doenças sistêmicas podem causar lesões na mucosa oral, seja como manifestação inicial, seja no próprio curso da doença. Entre elas merecem destaque o lupus eritematoso sistêmico, algumas doenças hematológicas, o pênfigo, liquem plano e o herpes zoster.


Dor
 Miofascial (nódulos)

A dor miofascial é uma desordem muscular regional caracterizada pela presença de pontos hipersensíveis (trigger points ou pontos-gatilho; nódulos), localizados em bandas rígidas de músculos esqueléticos, doloridos à palpação e que podem produzir dor referida (dor irradiada). Podem ainda estar associados a vermelhidão dos olhos e da pele, corrimento nasal, lacrimejamento dos olhos. Quanto às características clínicas, os pacientes com dor miofascial normalmente relatam dor regional persistente, provocando diminuição de movimento do músculo afetado. As queixas mais comuns são de dores de cabeça, dor no seio maxilar, dores no pescoço e odontalgia (dor de dente)


Critérios de diagnóstico

Todos os itens devem estar presentes:

  • Incômodo regional, dor muscular em repouso (contração)
  • A dor é agravada pela função do (s) músculo (s) afetado (s): (estímulo do TP)
  • Dor referida – a provocação dos PG altera a queixa de dor e frequentemente revela um modelo de dor referida à distancia
  • Redução da dor maior que 50% com spray/alongamento (ou infiltração anestésica)

Pode estar acompanhada de:

  • Dor de dente (consequência da manifestação do PG miofascial)
  • Cefaléia tensional
  • Sensação de rigidez muscular
  • Sensação de maloclusão aguda (sem sinal clínico)
  • Sintomas nos ouvidos, zumbido, vertigem, e cefaleia tensional
  • Abertura bucal reduzida que aumenta com alongamento muscular passivo
  • Hiperalgesia (aumento da sensibilidade) na região na qual se refere dor

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios * *